segunda-feira, 22 de junho de 2009

Então a prova do TRE ontem , seis zilhoes de pessoas fizeram essa prova, são luís inteira+ teresina+ fortaleza e goiânia...imaginem o tanto de ônibus...As provas do Cespe sempre são as mais difíceis, você tem que pensar muito mesmo pra poder responder. Resultado: saí da prova às 18h15 com o cérebro fritando e muito cansada.
Esses dias não tem sido muito facéis pra mim, queria poder estudar mais, ter mais apoio familiar, ter mais tempo.
Mas é tanta coisa faculdade,provas , trabalhos, eventos vip's, atenção e apoio ao companheiro etc.
Quase sempre me coloco em segundo plano nas coisas em prol do bem estar dos outros.
Não sei se isso tem valido a pena, mas acho que não.
Hoje alguém me disse que não tenho MORAL(!!!)
Até agora tô tentando ruminar isso, entender o que leva um ser humano destratar a outro que diz amar, que diz proteger, que diz cuidar...enfim.
To aqui ruminado tudo isso e como sempre tentando compreender por que as relações são tão dificeis.
Em outros tempos, no dos meus pais, nunca vi me pai falar alto com minha mãe, nunca vi meu pai reclamar de algo la em casa, mesmo quando as coisas não estavam facéis pra ele.
Meu pai sempre foi carinhoso, amoroso, honrado, trabalhador e compreensivo. Ele me ensinou o que é moral. A honestidade, a retidão de carater, pensar no seu bem estar, sem que pra isso tenha que passar por cima de alguém ou tirar proveito de situação. Meu pai me ensinou a fé, me ensinou a judar os irmãos mais jovens e amar a família, me ensinou a doar-se pelo outro, me ensinou o valor da casa, do lar, me ensinou o amor maior.
Meu amado pai não é um homem perfeito, traiu, errou, se arrependeu e não conseguiu conquistar tudo o que perdeu depois do fim de sua vida a dois. Mas meu respeito e meu amor isso ele nunca perdeu.
Preciso realmente aprender o que é moral, por que os valores que tenho aprendido ao longo de 28 anos de vida estão completamente equivocados neste infinito mundo ao meu redor.

Um comentário:

Albertinho disse...

É o seguinte: meu benzinho projetou uma vida perfeita com marido, casa, comida, roupa quase lavada e investimentos.
Se não fossem pelas brechas, nem perceberia que isso foi uma conquista.
Comparação alheia sempre gera frustração.
A mim, compreensão de moral ter uma vida digna sem ter precisado usar de recursos que ofendessem ou causassem prejuízos a outra pessoa para benefício próprio.
Agora, se moral é assumir a postura de "quem manda nessa porra", já não sei o que aconselhar.

Imagine que você consiga seu objetivo "Kátia Arruda", tenha uma posição social bem mais alta e que comece a ser cobrada também por isso, porque 'pensa só em si'. Isso é ter moral?

Desopila, desopila. Ignora porque tu tem espelho e sabe muito bem que teu esforço é enorme.

Ou então arruma logo um senador, um Gráuber pra ti e vai ser feliz!

relaxa, filha!